Deputado Estadual Durval Ângelo

Nossa Contagem

A- | A+



Balanço do emprego. Contagem gerou média anual de 9.000 vagas no período 2005 a 2012, contra 500 nos anos 2013 a 2014


A ex-prefeita Marília Campos foi acusada injustamente de ter levado Contagem à estagnação econômica, à desindustrialização e de ser insensível à demanda de empregos qualificados para a juventude com a estadualização da Funec (entidade que todos sabem sempre concentrou 90% de suas vagas no ensino médio regular). Pois bem, os dados que divulgamos neste post e em outro sobre o desenvolvimento econômico local confirmam as nossas posições sobre o dinamismo da economia de Contagem no governo Marília Campos. Vejam as duas tabelas abaixo.

empregos_1.jpg

epregos_2.jpg 

Contagem gerou, em média, 9.036 empregos formais por ano no período de 2005 a 2012, o que representa dezoito vezes mais que os 517 novos empregos, em média, no período 2013/2014. Em outro post nesta semana consolidamos também os dados sobre o crescimento dos municípios mineiros de 2005 a 2012, o que coloca Contagem ao lado de Uberlândia como os municípios que mais cresceram dentre os grandes municípios mineiros, superando, inclusive, a média de crescimento das economias brasileira e mineira.

Na segunda tabela analisamos o desempenho setorial da economia contagense, sempre considerando não os dados absolutos, mas principalmente a média anual. Os dados são impressionantes. No período de 2005 a 2012, a indústria de transformação gerou, em média por ano, 1.780 novos empregos contra uma média negativa de -793 no período 2013 a 2014.

Também aconteceu uma reversão drástica na construção civil, com a geração de uma média anual de 1.081 trabalhadores de 2005 a 2012 contra uma geração negativa de -772 nos anos recentes. Como fica o debate da desindustrialização?  O comércio de Contagem deve também estar saudoso do governo Marília Campos, onde o crescimento das vendas possibilitou a contratação anual média de 3.467 trabalhadores contra apenas 1.600 nos anos recentes. Também no setor de serviços contratou muito mais no período anterior do que recentemente.

Podemos dizer, portanto, que Contagem viveu no período de 2005 a 2012 uma convergência positiva na cidade, em Minas e no Brasil, que propiciou um avanço do emprego que tão cedo vai se repetir.