Deputado Estadual Durval Ângelo

Minas Gerais

A- | A+



21 de abril em Ouro Preto. Numa solenidade sem povo e insossa, Aécio Neves, o orador oficial, tirou uma soneca!


Na comemoração do 21 de abril, Dia de Tiradentes, o orador oficial foi Aécio Neves, senador tucano e candidato a presidência da República. Foi, mais uma vez, uma comemoração em praça pública mas sem povo e completamente insossa. Além de cercar a praça e permitir a presença apenas dos convidados, o governo do Estado realizou a cerimônia na noite de 21 de abril, último dia do feriadão, quando grande parte dos manifestantes e turistas já tinham ido embora. A falta de entusiasmo foi uma marca da solenidade, tanto que o orador oficial, Aécio Neves, tirou uma soneca no palanque.

Aécio se dirigiu ao povo que não estava presente

Aécio Neves, em seu longo discurso, falou em liberdade e aos mineiros e brasileiros, como se a praça estivesse lotada de pessoas do povo. Nada disso. O jornal O Tempo relatou a exclusão popular: “Excluídos da festa, muitos moradores reclamaram do fechamento da praça Tiradentes e do esquema de restrição de acesso às ruas próximas ao evento. Um grupo de cerca de 50 estudantes também protestou e vaiou durante toda a cerimônia. O barulho era notado no palanque, sem arrancar reações do senador Aécio Neves e demais autoridades. Os jovens jogaram farinha no meio da rua”. (...) “Só convidados e pessoas cadastradas puderam assistir a cerimônia. Um forte aparato policial foi montado para evitar manifestantes. “E um absurdo. Os seguranças não nos deixam passar e isso fere o nosso direito de ir e vir”, disse o estudante Fernando Silva, 25”. (...) “A dona de casa Maria Das Graças Silva, 54, também reprovou o esquema que limitou o acesso da comunidade. “Tive que andar mais de 20 minutos a mais para chegar a minha casa. Se é um evento popular não deveria ter tanta restrição”.

cochilo.jpg